Tyrrell P34 - o Fórmula 1 de seis rodas

Tyrrell P34 - o Fórmula 1 de seis rodas



Este Sábado não se disputou a qualificação do GP do Japão devido à ameaça de um tufão. Os pilotos ficaram assim com um pouco habitual dia livre para o qual tiveram que arranjar maneiras de passar o tempo. A nossa favorita foi sem dúvida a de Romain Grosjean que encontrou um modelo à escala do famoso Tyrrell P34 e entreteve-se a construí-lo.


Por aqui também somos fãs do P34 e aproveitamos a boleia do Grosjean para repescar o artigo que publicamos originalmente na nossa conta de Instagram a 13 de Junho, dia de Santo António e também o dia em que se comemora o aniversário da primeira e única vitória de um carro de seis rodas na Fórmula 1.


Recordemos então a história de um dos carros mais originais de uma época onde a criatividade era a palavra de ordem:


A 13 de Junho, em 1976, Jody Scheckter tornou-se o primeiro (e único) piloto a vencer um Grande Prémio de Fórmula 1 com um carro de seis rodas, o Tyrrel P34.

Apresentado em 1975, o P34 começou a correr na temporada de 1976 e foi a solução encontrada pela Tyrrel para dar resposta aos novos regulamentos que limitavam as asas dianteiras a 1,5m. Para isso, o P34 utilizava rodas dianteiras de menor diâmetro (apenas 10") que ficavam dentro da asa. Deste modo, não só não criavam perturbações aerodinâmicas como garantiam que chegava sempre ar limpo à asa traseira.

O revés desta solução era a menor superfície de contacto do pneu com o solo. Para compensar esta perda e em particular a diminuta área de travagem disponível, a Tyrrel introduziu um segundo par de rodas no eixo dianteiro.

O P34 conseguiu algum sucesso que culminou com esta vitória na Suécia com Jody Scheckter ao volante e Patrick Depailler a subir ao segundo lugar do pódio e a trazer uma dobradinha para casa para a equipa de Ken Tyrrell. O carro era particularmente competitivo em circuitos com longas rectas e foi presença assídua no pódio ao longo da temporada de 1976 (10 pódios entre Scheckter e Depailler) que viriam a dar um terceiro lugar no Mundial de Construtores à Tyrrell e a mesma posição no Mundial de Pilotos a Scheckter.

Em 1977 a Tyrrell manteve o P34, agora com algumas revisões e alterações ao projecto. O P34B não se mostrou tão competitivo como o projecto original. O carro era agora mais largo o que resultou em peso adicional (cerca de 85kg a mais que o projecto original). O peso extra resultava num esforço maior para os travões que estavam condicionados no diâmetro máximo pelo tamanho das pequenas rodas dianteiras. Também a Goodyear tinha dificuldades em desenvolver compostos competitivos para o P34 uma vez que estes pneus eram obviamente apenas utilizados pela Tyrrell.




Tudo isto traduziu-se numa época abaixo das expectativas criadas pela primeira temporada do P34 e o saldo final foi o quinto lugar no Mundial de Construtores para a Tyrrell, apenas quatro pódios e nenhuma vitória.


No final da época de 1977 a Tyrrell apresentou o seu carro para a temporada de 1978, o Tyrrell 008, e com ele o regresso a uma solução convencional de 4 rodas.




Entretanto, outras equipas começaram a testar variações ao conceito de carro de seis rodas (notavelmente a Williams e a McLaren) e no final da década a FIA passou a estipular que cada participante teria que ter exactamente quatro rodas de modo que o feito de Scheckter e da Tyrrel se mantém e irá manter irrepetível.

©2019 by Bandeira Amarela - Podcast. Proudly created with Wix.com

Imagem "sobre nós": https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pedro_Lamy_-_Imola_1996.jpg

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now