O rei de Spa

O rei de Spa



Em 1991 um jovem Michael de apenas 21 anos era um piloto sobre a alçada da Mercedes, de tal forma aliás que participava no World Sportscar Championship pela Sauber Mercedes e a par disso corria na F3000 e DTM.


Na altura do GP da Bélgica, a Jordan, uma equipa no seu primeiro ano, e, talvez até surpreendentemente, eram de certa forma competitivos. Tinha uma dupla fixa de pilotos, e nem estava nos planos qualquer substituição. Até que um deles é condenado a uma pena de cadeia de 6 meses (posteriormente reduzida para 2), por uma rixa com um taxista em londres. Ficava assim um lugar em aberto, Eddie Jordan toma a decisão de chamar esse tal jovem alemão. O objectivo era simples, não comprometer, de Cesaris era experiente e tudo o que fosse ficar perto dele já seria bom.


Chega a qualificação, Schumacher coloca o Jordan 191 em 7º na grelha, de Cesaris é apenas 11º a mais de 0.7s. Na corrida nem tudo correu de feição, o Jordan não aguentou e logo na fase inicial o carro 32 ficava pelo caminho.


Tinha nascido um talento, quem não perdeu tempo foi a Benetton que após a impressionante qualificação levou consigo Michael Schumacher.


O circo chegava em 1992 outra vez a Spa. Este era o primeiro ano completo do menino de ouro da Benetton. E para marcar mais um acontecimento em torno do mítico grande prémio, e somente pela segunda vez que pisava o circuito num F1, Schumacher vence pela primeira vez na sua carreira.


1994 é o ano em que se torna pela primeira vez campeão do mundo. E também aqui Spa Francorchamps entra na história da sua carreira. Tudo parecia normal até ao final da corrida. Schumacher vencia e parecia lançado, até que o seu carro é desclassificado por excesso de desgaste no “skid block”. A peça de madeira tinha sido introduzida para controlar a altura ao chão dos monolugares, e a FIA considerava que teria havido demasiado desgaste.


Os 3 anos seguintes foram de domínio do Alemão na Bélgica, 3 vitórias consecutivas. Contudo, o seguinte, 1998, foi caótico, logo na largada entre La Source e Eau Rouge um autêntico caos que apanhou também Michael Schumacher, ainda assim voltou à prova na segunda tentativa de lançar o grande prémio. E até parecia que teríamos mais uma vitória, com mais de 40s de diferença para o 2º classificado o impensável acontece. Schumacher ao dobrar Coulthard embate no Escocês, dando origem a um dos mais célebres momentos da F1 no circuito Belga.


Em 2000 seria o seu primeiro ano campeão pela Ferrari, na Bélgica mais um pódio. 2001 e 2002 novas vitórias.


Schumacher viveu de tudo aqui, estreia, primeira vitória, caos, controvérsia, domínio e até a derrota.



Faltava apenas uma coisa. Ser campeão no circuito que tanto lhe deu, e do qual ele se tornou rei. E foi há 15 anos que Michael Schumacher se tornava campeão pela 7ª e última vez, a 5ª consecutiva e tudo acontecia em Spa Francorchamps. O circuito belga marcou e de que maneira a carreira daquele que é considerado por muitos o melhor de sempre, certamente um dos melhores sem dúvida.


Foram 6 vitórias e mais 3 pódios e um infindável legado deixado por Michael Schumacher em Spa Francorchamps.

©2019 by Bandeira Amarela - Podcast. Proudly created with Wix.com

Imagem "sobre nós": https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pedro_Lamy_-_Imola_1996.jpg

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now