Monza - 1971

Monza - 1971


Monza, o templo da velocidade. Localizado a norte de Milão o icónico circuito Italiano é a casa dos tifosi. Um mar vermelho invade todos os anos a província para apoiar a Scuderia Ferrari.


Para encontrarmos a data de nascimento deste monumento do desporto motorizado, precisamos recuar até 1922, ano em que o circuito foi inaugurado, e ao longo do tempo muitas foram as alterações sofridas ao traçado. Uma das imagens de marca é a oval que ainda hoje pode ser visitada e que foi utilizada em conjunto com o restante traçado nos seus primórdios e no início dos anos 50 modernizada para uma oval ao estilo americano, para precisamente receber provas da indycar, ainda que em conjunto com os Formula europeus (muito contra vontade dos pilotos do velho continente, e rara foi a excessão que arriscou entrar na prova).


Com velocidades máximas a atingirem valores superiores a 360 km/h e valores de desaceleração na casa dos 4.5 g a alcunha é tudo menos surpreendente. Com curvas míticas como as duas Lesmo, a Variante Ascari e a Curva Parabolica. Aqui os erros pagam-se caro, e por isso o talento emerge e escreve história.


Hoje queremos recordar um dos momentos que ainda hoje figura nos livros de recordes, a única vitória de Peter Gethin em 1971 ao volante de um BRM.


Após as 55 voltas ao traçado de Monza os dois P160 da British Racing Motors cruzam a linha da meta com apenas 0.6s de diferença, Gethin vence à frente do seu colega de equipa Howden Ganley que termina em 5º lugar…


Não é gralha, os 5 primeiros classificados separados apenas por 0.61s com a seguinte ordem:


  1. Peter Gethin

  2. Ronnie Peterson +0.01s

  3. François Cevert +0.09s

  4. Mike Hailwood +0.18s

  5. Howden Ganley +0.61s


É ainda hoje a mais pequena diferença entre os 5 primeiros, pouco mais de meio segundo separa os 5 líderes do grande prémio.


Não é este o único ponto de interesse da prova. Emerson Fittipaldi conduziu um Lotus 56B com tracção às 4 rodas, no único grande prémio que o piloto brasileiro competiu com um carro sem motor Ford Cosworth. A Tyrrell-Ford venceu o seu primeiro mundial de construtores. E foi também a última vez que o traçado sem chicanes foi utilizado.


De Monza, felizmente soubemos que o contrato foi renovado e por isso esperemos que nos seja possível testemunhar novos marcos históricos no traçado italiano.

©2019 by Bandeira Amarela - Podcast. Proudly created with Wix.com

Imagem "sobre nós": https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pedro_Lamy_-_Imola_1996.jpg

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now