Antevisão GP da Estíria

Antevisão GP da Estíria



Agora que já terminaram de estirar, e estão bem alongados, só falta mesmo o dia a doer, a corrida na Estíria.


A qualificação foi entretida, por momentos pensou-se que não seria possível, mas a acção lá veio para a pista, e a chuva "the great equalizer" da F1 fez das suas.


Bom, na verdade a chuva já não é um factor de nivelação como foi outrora. Carros com maior carga aerodinâmica por exemplo serão mais fortes nestas condições. Os que têm maior capacidade de aplicar potência ao chão também. Mas para aqueles que não possuem esse tipo de maquinaria alguma coisa sempre ajuda.

Grosjean, Giovinazzi, Latiffi e Perez neste caso não tiraram qualquer proveito. Grosjean não chegou a completar uma volta, Giovinazzi bateu forte, Latiffi na sua primeira prova a doer em piso molhado ainda tem essa benesse e Sérgio Perez voltou a mostrar que chuva não é com ele.


O Racing Point terá certamente ritmo e com piso seco Perez irá tentar minimizar o estrago da qualificação.

Nos últimos 7 lugares, 5 têm motores Ferrari, P14 Charles (devido a penalização de 3 lugares é certo), P15 Magnunssen, P16 Raikkonen. Mais uma prova de que a chuva não iguala tudo, o motor Ferrari continua com sérios défices de potência.


Vettel é o outro motor Ferrari e sai de 10º, o alemão que desta vez qualificou-se à frente do seu colega de equipa queixou-se do facto de não conseguirem colocar os pneus a funcionar, numa última tentativa o SF1000 foi mesmo testar a gravilha do circuito. O que poderá fazer daqui Vettel? É uma incógnita, o monolugar não lhe responde, olhar para a frente não é tão fácil como em outras ocasiões. Vettel diz-se mais contente com o carro e neste momento é a melhor opção para a Ferrari amealhar muitos pontos.


Um dos homens do dia foi George Russell, o piloto da Williams fez uma qualificação extraordinária e sai à porta do top10. Neste caso o 11º não é o primeiro carro com pneus novos, já que a qualificação foi realizada à chuva, e como tal todos os pilotos terão oportunidade de escolher os pneus que desejam para iniciar o Grande Prémio.


Russell terá muito provavelmente uma prova a andar para trás, mas encontra-se numa boa posição para aproveitar erros e problemas nas outras equipas, e quem sabe chegar aos seus primeiros pontos na F1



Na Q3 vários destaques, Gasly, Ocon, Sainz e Hamilton.


Gasly, o mistério desde que saiu da RedBull continua, em condições difíceis voltam a mostrar talento. Quando não se pensa em Max parece tudo muito mais fácil, P7, Kvyat apenas P13. Gasly tem assim a oportunidade de marcar muitos pontos para a Alpha Tauri.


Ocon começou enferrujado a semana passada, mas rápido lhe passou, um brilhante P5 à frente do cotado Ricciardo que largará de P7. Com a grande possibilidade de ambos se encontrarem em pista, será interessante ver como é que essa potencial batalha se irá desenvolver.


A experiência de Sainz hoje fez-se valer, e o piloto que para a próxima época irá rumar à Ferrari fez um fantástico 3º lugar na qualificação (Norris sai de P9 com 3 lugares de penalização) e certamente quer igualar o pódio do seu colega de equipa na semana passada. O problema, é que logo atrás de si está Bottas, o vencedor do GP da Áustria.


Verstappen certamente tentará levar a luta a Hamilton, mas desta feita não tem o trunfo de saber que está numa estratégia oposta, apenas saberemos perto da ínicio da corrida os compostos de cada piloto, e Verstappen perde aí um trunfo importante já que a preparação da corrida terá que ser diferente. Contudo a seu favor está o facto do ter um Mercedes isolado e não o duo normal que como se sabe trabalha muito bem em conjunto.


Sobre Hamilton? 1.2s para o P2 e 1.4s para o colega de equipa? Já se criarem religiões com menos evidências de que é possível caminhar sobre água...




©2019 by Bandeira Amarela - Podcast. Proudly created with Wix.com

Imagem "sobre nós": https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pedro_Lamy_-_Imola_1996.jpg

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now